Highslide for Wordpress Plugin
Evangelho do dia › 18/08/2017

6ª-feira da 19ª Semana do Tempo Comum

1ª Leitura – Js 24,1-13

Tirei vossos pais dos confins da Mesopotâmia,
depois vos fiz sair do Egito e vos dei uma terra.

Leitura do Livro de Josué 24,1-13

Naqueles dias: 
1 Josué reuniu em Siquém todas as tribos de Israel 
e convocou os anciãos, os chefes, 
os juízes e os magistrados, 
que se apresentaram diante de Deus. 
2 Então Josué falou a todo o povo: 
‘Assim diz o Senhor, Deus de Israel: 
Vossos pais, Taré, pai de Abraão e de Nacor 
habitaram outrora do outro lado do rio Eufrates 
e serviram a deuses estranhos. 
3 Mas eu tirei Abraão, vosso pai, 
dos confins da Mesopotâmia, 
e o conduzi através de toda a terra de Canaã, 
e multipliquei a sua descendência. 
4 Dei-lhe Isaac, 
e a este dei Jacó e Esaú. 
E a Esaú, um deles, dei em propriedade o monte Seir; 
Jacó, porém, e seus filhos desceram para o Egito. 
5 Em seguida, enviei Moisés e Aarão 
e castiguei o Egito com prodígios que realizei em seu meio, 
e depois disso vos tirei de lá. 
6 Fiz, portanto, que vossos pais saíssem do Egito, 
e assim chegastes ao mar. 
Os egípcios perseguiram vossos pais, 
com carros e cavaleiros, 
até ao mar Vermelho. 
7 Vossos pais clamaram então ao Senhor, 
e ele colocou trevas entre vós e os egípcios. 
Depois trouxe sobre estes o mar, que os recobriu. 
Vossos olhos viram todas as coisas que eu fiz no Egito 
e habitastes no deserto muito tempo. 
8 Eu vos introduzi na terra dos amorreus 
que habitavam do outro lado do rio Jordão. 
E, quando guerrearam contra vós, 
eu os entreguei em vossas mãos, 
e assim ocupastes a sua terra 
e os exterminastes. 
9 Levantou-se então Balac, filho de Sefor, rei de Moab, 
e combateu contra Israel, 
e mandou chamar Balaão, filho de Beor, 
para que vos amaldiçoasse. 
10 Eu, porém, não o quis ouvir. 
Ao contrário, abençoei-vos por sua boca, 
e vos livrei de suas mãos. 
11 A seguir, atravessastes o Jordão e chegastes a Jericó. 
Mas combateram contra vós os habitantes desta cidade 
– os amorreus, os fereseus, os cananeus, os hititas, 
os gergeseus, os heveus e os jebuseus. 
Eu, porém, entreguei-os em vossas mãos. 
12 Enviei à vossa frente vespões 
que os expulsaram da vossa presença 
– os dois reis dos amorreus – 
e isso não com a tua espada 
nem com o teu arco. 
13 Eu vos dei uma terra que não lavrastes, 
cidades que não edificastes, e nelas habitais, 
vinhas e olivais que não plantastes, e comeis de seus frutos. 
Palavra do Senhor. 

Salmo – Sl 135,1-3. 16-18. 21-22.24

R. Eterna é a sua misericórdia! 
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia 
1 Demos graças ao Senhor, porque ele é bom: * 
Porque eterno é seu amor! 
2 Demos graças ao Senhor, Deus dos deuses: * 
Porque eterno é seu amor! 
3 Demos graças ao Senhor dos senhores: * 
Porque eterno é seu amor! R.

16 Ele guiou pelo deserto o seu povo: * 
Porque eterno é seu amor! 
17 E feriu por causa dele grandes reis: * 
Porque eterno é seu amor! 
18 Reis poderosos fez morrer por causa dele: * 
Porque eterno é seu amor! R.

21 Repartiu a terra deles como herança: * 
Porque eterno é seu amor! 
22 Como herança a Israel, seu servidor: * 
Porque eterno é seu amor! 
24 De nossos inimigos libertou-nos: * 
Porque eterno é seu amor! R. 

Evangelho – Mt 19,3-12

Moisés permitiu despedir a mulher,
por causa da dureza do vosso coração.
Mas não foi assim desde o início.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 19,3-12

Naquele tempo: 
3 Alguns fariseus aproximaram-se de Jesus, 
e perguntaram, para o tentar: 
‘É permitido ao homem despedir sua esposa 
por qualquer motivo?’ 
4 Jesus respondeu: 
‘Nunca lestes que o Criador, 
desde o início os fez homem e mulher? 
5 E disse: ‘Por isso, o homem deixará pai e mãe, 
e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne’? 
6 De modo que eles já não são dois, mas uma só carne. 
Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe.’ 
7 Os fariseus perguntaram: 
‘Então, como é que Moisés mandou dar certidão de divórcio 
e despedir a mulher?’ 
8 Jesus respondeu: 
‘Moisés permitiu despedir a mulher, 
por causa da dureza do vosso coração. 
Mas não foi assim desde o início. 
9 Por isso, eu vos digo: 
quem despedir a sua mulher 
– a não ser em caso de união ilegítima – 
e se casar com outra, comete adultério.’ 
10 Os discípulos disseram a Jesus: 
‘Se a situação do homem com a mulher é assim, 
não vale a pena casar-se.’ 
11 Jesus respondeu: 
‘Nem todos são capazes de entender isso, 
a não ser aqueles a quem é concedido. 
12 Com efeito, existem homens incapazes para o casamento, 
porque nasceram assim; 
outros, porque os homens assim os fizeram; 
outros, ainda, se fizeram incapazes disso 
por causa do Reino dos Céus. 
Quem puder entender, entenda.’ 
Palavra da Salvação. 

Reflexão – Mt 19, 3-12

Quem comete adultério, peca duas vezes. O primeiro pecado é o da fornicação, do desrespeito da pessoa do outro ou da outra como templo do Espírito Santo, o que se constitui em profanação do sagrado, da propriedade divina pela consagração batismal. O segundo pecado é contra o vínculo matrimonial, é o rompimento de uma promessa que foi feita diante de Deus e da Igreja. E a causa de tão grave pecado encontra-se na dureza do próprio coração, que não é capaz de abrir-se à graça divina e aos verdadeiros valores e se torna escravo da luxúria, fazendo dela o verdadeiro deus da própria vida.

Fonte: CNBB 

Imprimir