Highslide for Wordpress Plugin
Notícias › 03/10/2018

Em coletiva, padres falam sobre novidades na Novena da Padroeira

Nesta quarta-feira, 3, a cidade de Aparecida, no interior de São Paulo, amanheceu em festa. Às 6h, teve uma carreata que percorreu as ruas do município onde o Santuário Nacional de Aparecida está localizado, anunciando o início da novena. As atividades que fazem parte dos festejos de preparação para o dia 12 de outubro, dia da padroeira do Brasil, foram apresentadas na manhã de terça-feira, 2, durante coletiva de imprensa, pelo reitor do Santuário, padre João Batista de Almeida, e pelo administrador, padre Daniel Antônio da Silva.

O festejo, que será encerrado no domingo, 14, terá como enfoque a restauração. Com o tema “Em Jesus, com Maria, restauramos a vida”, a novena deste pós tricentenário mergulhará nos 40 anos do restauro da imagem de Aparecida e terá como apoio dois elementos: o contexto das eleições 2018 e o Ano do Laicato.

Sobre a celebração da novena, o sacerdote contou que serão realizadas diariamente duas cerimônias, uma no período da tarde, com padres redentoristas de todo o país, e outra no período da noite, presidida por bispos, arcebispos e cardeal, a convite do arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes. Em cada dia da novena, serão trabalhados temas específicos, entre eles a servidão, a participação do leigo na Igreja, sacramentos, caridade, dignidade da vida, entre outros.

Programação

Entre as atividades previstas na programação da novena, está o Festival da Padroeira, a carreata de translado dos restos mortais de Dom Aloísio Lorscheider, a vigília dedicada à juventude e o passeio ciclístico para crianças e adolescentes. O Festival da Padroeira é uma herança do festejo dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora, e que passará, de acordo com padre João Batista, a constar em todas as festividades do dia 12 de outubro. “Ele foi um sucesso e agora queremos que seja um sucesso todos os anos”, frisou o sacerdote. Neste ano, o festival contará com a presença de padres cantores e do cantor Daniel, acompanhado de cantores mirins.

“Esse ano conseguimos, com o apoio da ordem dos frades menores, trazer os restos mortais de Dom Aloísio a Aparecida”, contou o reitor do Santuário. O translado até a Basílica Nacional ocorrerá nesta sexta-feira, 5, às 8h. Às 9h, o momento será concluído com uma missa presidida pelo Cardeal Damasceno.

Este sábado e domingo será dedicado à juventude. No primeiro dia do final de semana, os jovens são convidados a participar da vigília entre 23h e 5h, e, no domingo, 7, serão incentivados a participar do passeio ciclístico que, neste ano, será realizado no Caminho do Rosário, local às margens do Rio Paraíba e que conta com mais de 100 estátuas de pessoas e animais que compõe o cenário dos Mistérios do Rosário. O Caminho do Rosário será utilizado em dois momentos antes de sua inauguração, o primeiro no passeio ciclístico e o segundo na procissão da memória que acontecerá no dia 11 de outubro às 20h30.

O Caminho do Rosário

O Caminho do Rosário é, segundo padre Daniel Antônio, uma extensão do Santuário Nacional. A ideia do local surgiu, de acordo com o administrador, a partir do desejo de um maior investimento na construção de um novo espaço oracional para os peregrinos. Além de um lugar para experiências de oração, o Caminho do Rosário ajudará na maior circulação dos romeiros. Sobre os detalhes do espaço, padre Daniel conta que terá 1 km de extensão, contará com iluminação e cenas bíblicas. O local será mantido e cuidado pelo Santuário Nacional.

A inauguração do Caminho do Rosário ocorrerá no domingo, 14, com missa às 19h30. Após a santa missa, será realizada uma procissão até o local, com a imagem peregrina de Aparecida, para a cerimônia de benção e inauguração. Em seguida, os peregrinos serão convidados a rezar uma versão reduzida do Rosário, junto aos membros do clero.

Mudanças

Além do horário da carreata do primeiro dia da novena, que comumente acontecia às 16h, outras atividades passaram por alterações. A tradicional procissão da memória terá a presença da imagem peregrina de Aparecida transportada por andor, e não em um carro, como de costume. A decisão aconteceu, segundo o reitor do Santuário, pois o ato de carregar o santo ou santa padroeira durante as festas é popularmente realizado deste modo, em todo o Brasil. “O andor está presente na espiritualidade e na história do nosso povo”, sublinhou.

Outra alteração é a exposição do Santíssimo Sacramento. Em vez de ficar exposto no altar da Basílica, o ostensório ficará na capela do Santíssimo do Santuário. “A intenção é chamar atenção para este espaço privilegiado de oração”, reforçou padre João Batista. No dia 12 de outubro, a missa que dá sequência à procissão da memória não contará com um coral e, nela, será divulgado o tema da Festa da Padroeira 2019.

Via Canção Nova

Imprimir